Mediação de Conflitos nas Empresas

Em pesquisa realizada pela OPP – Oxford Psychology Press, onde foram consultados aproximadamente 5 mil profissionais, em nove países (Inglaterra, Bélgica, Brasil, Dinamarca, França, Alemanha, Irlanda, Holanda e Estados Unidos), foi apurado que os profissionais brasileiros gastam 91,2 horas por ano (cerca de 11 dias) na solução de conflitos. O estudo considerou conflito qualquer desacordo no ambiente profissional com efeitos perturbadores no fluxo de trabalho.

O tempo que as empresas nacionais gastam na resolução de atritos entre seus empregados é inferior apenas ao das companhias alemãs e irlandesas, ambas com perdas de 158,4 horas anuais, e das companhias norte-americanas, com 134,4 horas perdidas por ano. De acordo com o estudo, 85% dos funcionários precisam lidar com conflitos em algum grau, sendo que 29% o fazem com freqüência.

No Brasil, a principal causa de desentendimentos é o estresse, apontado por 43% dos profissionais. O choque de valores vem em segundo lugar, com 24%. Mundialmente, quase metade dos participantes (49%) vê as diferenças de personalidades e a luta de egos como os maiores geradores de conflitos, seguidos pelo estresse (34%) e a pressão por conta da alta carga de trabalho (33%).

A pesquisa também aponta que para a melhoria do clima organizacional, impactando diretamente nos resultados, o treinamento pessoal é sempre a melhor opção.

No estudo, o maior índice de realização de treinamentos voltados ao problema ocorreu no Brasil: 60% das empresas realizam esse tipo de atividade.

Contudo, o treinamento específico em Mediação de Conflitos ainda é uma novidade. As empresas que já fizeram aprovaram 100% a sua eficácia.
Este treinamento específico promove o auto-conhecimento e a maneira mais adequada de se lidar com conflitos, onde há oportunidade de fortalecimento da cultura da Mediação, na medida em que se promove um maior alinhamento das pessoas, integrando-as e vinculando-as, formando times mais cooperativos e conscientes, com clareza de seu papel e de seus objetivos, sejam estes individuais, como departamento ou como empresa.

Objetivos:
• Aumentar a coesão, integração das pessoas em seus respectivos times, aumentando o respeito mútuo e os vínculos;
• Ampliar a visão e reflexão sobre o conflito: suas causas, ciclo, e as conseqüências de nossos padrões de reação a ele;
• Desenvolver a escuta atenta intra e interpessoal, ampliando sua consciência a respeito do que envolve as relações em que estão envolvidos;
• Desenvolver novos padrões de comunicação, mais efetivos e integradores, de forma a obterem acordos ganha-ganha;
• Fomentar o papel do Mediador / Facilitador e seu impacto na formação de Líderes: legitimando relações, possibilitando o diálogo, garantindo “voz”;
• Utilizar uma nova possibilidade na resolução de conflitos, profissional e pessoalmente – efeito pedagógico;
• Aprender a focar no problema e não nas pessoas;
• Impactar positivamente o clima organizacional e os resultados.

Formatos de Atuação da Mediação:
 Intervenção na empresa: para situações de conflitos entre profissionais da empresa, que requeiram a atuação de um mediador externo profissional;
 Intervenção entre empresas: para conflitos oriundos de relações entre duas ou mais empresas, que queiram resolver a questão sem a necessidade de se socorrerem do judiciário;
 Seminário para formação de Mediadores e/ou Facilitadores em Mediação: profissionais da empresa são capacitados a apoiar pessoas em situação de conflito a encontrarem uma solução para suas disputas, assim como encontrarem novas formas de resolução para os conflitos em que estiverem envolvidos, sempre com um olhar de construção de um acordo entre todos os envolvidos para garantir a eficácia dos mesmos.

Estas três formas de atuação são similares em alguns aspectos e distintas em outros.

Entre um mesmo departamento ou entre departamentos diferentes, onde há desentendimento entre pessoas ou quanto a procedimentos, a intervenção de um terceiro é normalmente indispensável.

Podendo ser um terceiro participante da empresa ou externo, dependendo do grau do conflito ou da posição das partes, hierarquicamente simétricas ou diferentes.

Assim como nos conflitos oriundos de não cumprimento de contrato ou de entendimento diverso dos contratos, o mediador possibilita a resolução em tempo abreviado e custo reduzido, uma vez que as partes não necessitarão de ajuda do Poder Judiciário.

No caso de fusões e aquisições entre empresas, e todas as suas implicações, sobre os recursos humanos, a reorganização dos organogramas, a redivisão de responsabilidades, o mediador é um ator de facilitação e antecipação dos cenários.

Os seminários de facilitação e formação de mediadores se distinguem pelo tempo de formação que as empresas se propõem a oferecer para seus funcionários. Muitas empresas preferem o formato de capacitar facilitadores em Mediação, para que atuem em automediação e em intervenção de terceiros em conflitos mais corriqueiros e utilizam mediadores externos para casos mais complexos.

A Mediação está sendo difundida como uma ferramenta cultural de gestão empresarial. Uma disciplina para as relações humanas.

Filed in: Blog Tags: , ,

You might like:

A Mediação na Gestão de Conflitos A Mediação na Gestão de Conflitos
Na´amat São Paulo cria Núcleo de Mediação Na´amat São Paulo cria Núcleo de Mediação

Leave a Reply

You must be Logged in to post comment.

© 4755 Hera Mediação. All rights reserved. XHTML / CSS Valid.
Contato atendimento.